Connect with us

Regional / Nacional

Covid-19: Governo dos Açores garante custo de dormidas em confinamento em hotéis

Publicado

|

O Governo Regional dos Açores vai assegurar o pagamento de dormidas em hotéis das pessoas que cheguem à região e que sejam obrigadas a cumprir confinamento obrigatório em unidades hoteleiras, devido à pandemia de covid-19.

“Os custos de alojamento de todos os cidadãos confinados serão suportados pelo Governo Regional dos Açores”, avançou hoje o responsável da Autoridade de Saúde Regional dos Açores, Tiago Lopes, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

Atualmente, só há viagens aéreas para duas ilhas nos Açores, São Miguel e Terceira, sendo a deslocação inter-ilhas restringida a situações excecionais, com a aprovação da Autoridade de Saúde Regional.

Desde o dia 14 de março que o executivo açoriano obriga os passageiros que aterrem na região a assinar um termo de responsabilidade, comprometendo-se a ficar em quarentena durante 14 dias.

Hoje e, após articulação prévia com o Representante da República para a Região Autónoma dos Açores, o Governo Regional determinou que esse período de confinamento obrigatório seria feito em unidades hoteleiras, “independentemente da residência dos indivíduos”.

As unidades hoteleiras definidas – o Hotel Marina, na ilha de São Miguel, e o Hotel do Caracol, na ilha Terceira – “garantirão condições de higiene e salubridade e a prestação de refeições diárias” e o confinamento obrigatório só será levantado “em casos de força maior” e com a autorização da Autoridade de Saúde Regional.

Questionado pelos jornalistas, Tiago Lopes disse que as quarentenas determinadas à chegada à região “têm revelado a sua eficácia e a sua eficiência”, justificando a concentração em unidades hoteleiras com a necessidade de facilitar o trabalho às autoridades de saúde.

“Torna-se cada vez mais difícil, em termos de recursos humanos, fazer o acompanhamento diário de todas as vigilâncias ativas que nós temos neste momento”, afirmou.

São mais de 2.000 as pessoas, sem sintomas, mas que estiveram fora da região ou em contacto com casos confirmados, acompanhadas diariamente pelas autoridades de saúde açorianas.

“Tínhamos que arranjar aqui uma medida que permitisse a facilidade desse trabalho de vigilância ativa de todos os cidadãos potencialmente infetados”, reiterou o responsável da Autoridade de Saúde Regional.

Tiago Lopes sublinhou, no entanto, que há cada vez menos pessoas a desembarcar nos aeroportos dos Açores, sendo a maioria residente no arquipélago.

“Quem vier para cá, se vier em período de férias, irá passar as suas férias confinado a uma unidade hoteleira sem poder sair da mesma. É visível e é evidente que cada dia que passa temos menos pessoas”, assegurou.

O controlo do confinamento no hotel será feito com a colaboração da Polícia de Segurança Pública e até mesmo os residentes no arquipélago, incluindo aqueles que têm casa na ilha de chegada, terão de permanecer 14 dias no hotel.

“Muitos deles são residentes nos Açores que acabam por regressar à sua terra natal, mas que, por via de segurança e de contermos o surto e atendendo à saúde pública que queremos manter, terão agora que inevitavelmente manter este período de quarentena em ambas as unidades hoteleiras”, revelou o responsável da Autoridade de Saúde Regional.

Questionado sobre o atraso na resposta aos pedidos de deslocação inter-ilhas, Tiago Lopes disse que os serviços da direção regional de Saúde estão “mais preenchidos com pedidos que não fazem sentido neste momento”.

“A população ainda não compreendeu que estamos em estado de emergência e que não pode haver a livre circulação que existia anteriormente”, frisou.

Ainda assim, avançou que o procedimento está a ser afinado para que as situações urgentes, relacionadas sobretudo com questões de saúde, tenham “prioridade”.

Os Açores têm atualmente 24 casos confirmados da covid-19, em cinco ilhas, mas apenas um de transmissão local.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais 505 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 23.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, registaram-se 60 mortes, mais 17 do que na véspera (+39,5%), e 3.544 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 549 novos casos em relação a quarta-feira (+18,3%).

CYB // JPF

Lusa/Fim

Regional / Nacional

Covid-19: Açores vão registar mais casos positivos nos próximos dias – Autoridade de Saúde

Publicado

|

O responsável pela Autoridade de Saúde Regional dos Açores, Tiago Lopes, disse hoje que os Açores vão registar “mais casos” positivos, nos “próximos dias”, da covid-19, na sequência de realização de mais testes.

No ‘briefing’ diário sobre a situação da pandemia de covid-19, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, Tiago Lopes, questionado sobre o aumento de 15 casos hoje anunciados, declarou que, “como se tem vindo a testar cada vez mais para além do padronizado, que são os casos suspeitos, há mais positivos por via da investigação feita”.

Para o responsável, como se está “a atacar com maior intensidade” a evolução do surto nos Açores, é “expetável que amanhã [segunda-feira] e nos próximos dias haja mais casos positivos” nos Açores.

Hoje foram detetados mais 15 casos positivos de covid-19 em quatro ilhas da região.

Segundo a nota de imprensa, foram detetados seis casos em São Miguel, dois na Terceira, cinco no Pico e dois no Faial.

No caso de São Miguel, a ilha mais populosa, foram diagnosticados dois indivíduos do sexo masculino, de 38 e 47 anos, e quatro indivíduos do sexo feminino, três deles entre 19 e 33 anos e um com 80 anos.

Deste grupo, quatro casos “têm história de viagem recente ao exterior da região”.

A Autoridade de Saúde Regional dos Açores refere, em relação aos casos da Terceira, que se trata de um indivíduo do sexo masculino e outro do sexo feminino, com 50 e 47 anos, respetivamente, estando “relacionados com o caso detetado sábado na ilha”

Os cinco casos positivos da ilha do Pico incluem dois indivíduos do sexo masculino, de 42 e 71 anos, e três do sexo feminino, pertencendo “ao mesmo agregado familiar”, sendo que “dois indivíduos estiveram recentemente no estrangeiro”.

Na ilha do Faial, correspondem a um indivíduo do sexo masculino, com 43 anos, e um do sexo feminino, com 42 anos, sendo que “estão relacionados e ambos têm história de deslocação recente ao exterior da região”.

Segundo a Autoridade de Saúde, “todos apresentam situação clínica estável e estão, de momento, no domicílio”.

Com mais estes quinze casos, sobe para 42 os infetados pelo covid-19 nos Açores.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 119 mortes, mais 19 do que na véspera (+19%), e registaram-se 5.962 casos de infeções confirmadas, mais 792 casos em relação a sábado (+15,3%).

Dos infetados, 486 estão internados, 138 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 667 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 31.000.

Dos casos de infeção, pelo menos 134.700 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

JME // MSP

Lusa/Fim

Continuar a Ler

Regional / Nacional

Governo dos Açores determina estabelecimento de um cordão sanitário no concelho da Povoação

Publicado

|

O Governo dos Açores, após recomendação das autoridades de saúde concelhia e regional, ter ouvido o Município da Povoação e em articulação prévia com o Representante da República para os Açores, determinou o estabelecimento de um cordão sanitário no concelho da Povoação, ilha de São Miguel, até às 00H00 de 13 de abril.

Esta decisão, que se afigura fundamental para a proteção da saúde pública, surge da necessidade de conter a população da Povoação no seu concelho, onde, nas últimas 24 horas, foram registados vários casos positivos pelo novo coronavírus.

O Governo dos Açores determinou igualmente interditar a circulação e permanência de pessoas na via pública naquele concelho, exceto para deslocações necessárias e urgentes, devidamente autorizadas pela Autoridade de Saúde Regional.

Tendo-se verificado casos de transmissão local, foi considerado, assim, necessário proceder a esta contenção de mobilidade da população para permitir a identificação dos contactos próximos dos casos positivos, com vista à respetiva colheita de amostras biológicas para análise laboratorial.

Esta situação está a ser acompanhada pela Delegação de Saúde Concelhia, em articulação com as demais entidades envolvidas, designadamente autarquias, forças de segurança e bombeiros, estando em curso os procedimentos definidos para caso confirmado e de vigilância de contactos próximos.

A Autoridade de Saúde Regional alerta que o não cumprimento do período obrigatório de quarentena constitui crime de desobediência e, como tal, será apresentada queixa dos infratores às autoridades judiciais.

Reitera ainda que a saúde de toda a comunidade depende do estrito cumprimento das decisões e recomendações da Autoridade de Saúde Regional e das Delegações de Saúde Concelhias.

Em caso de sintomas, lembre-se de que não deve procurar um Hospital ou Unidade de Saúde, mas sim ligar para a Linha de Saúde Açores – 808 24 60 24.

Para mais informação, deve ser consultado o site criado pelo Governo dos Açores no âmbito da pandemia, em http://covid19.azores.gov.pt, ou a página de Facebook da Direcção Regional da Saúde, em https://www.facebook.com/DirecaoSaudeAcores/.

O Governo dos Açores disponibiliza ainda a Linha Açores de Esclarecimento Não Médico COVID-19, com o número 800 29 29 29, que pode ser utilizada entre as 08h00 e as 20h00, todos os dias da semana, e a Linha RIAC 800 500 501, que funciona de segunda-feira a sábado, das 09h00 às 22h30, e aos domingos, das 10h00 às 22h30.

Está disponível também o endereço de correio electrónico esclarecimentocovid19@azores.gov.pt para esclarecimentos sobre as medidas adoptadas na Região para fazer face à pandemia do novo coronavírus.

GaCS/SRS

Continuar a Ler

Regional / Nacional

Ponto de Situação da Autoridade de Saúde Regional dos Açores sobre o Covid-19

Publicado

|

À data de ontem, 28 de março, existiam 64 casos suspeitos de Coronavírus na Região Autónoma dos Açores. Destes, 39 são resultados negativos: 11 de São Miguel, 3 do Faial, 23 da Terceira e 2 do Pico.

Dos 64, registaram-se 10 casos positivos: 6 de São Miguel, 2 da Terceira e 2 do Faial.

Quinze destes 64 casos suspeitos aguardam ainda resultados e colheitas, sendo 10 de São Miguel, 4 da ilha Terceira e um da ilha do Faial.

Nas últimas 24 horas, até às 0H00 de hoje, 29 de março, foram assinalados 42 casos suspeitos e 42 casos positivos para Coronavírus na Região Autónoma dos Açores.

Relativamente aos casos positivos, 9 são da ilha Terceira, sendo que oito destes casos estão relacionados com viagens ao exterior da Região. No Pico existem 8 casos positivos, dos quais cinco provêm de viagens ao estrangeiro. Na ilha do Faial foram detetados até ao momento 5 casos positivos, todos com antecedente recente de viagem ao continente. Em São Jorge existem 7 casos positivos, todos relacionados com uma situação em concreto, em país estrangeiro. Na ilha de São Miguel existem 13 casos positivos, 11 dos quais com proveniência em deslocação ao exterior da Região.

A Autoridade de Saúde Regional está a promover a esta data 2 166 vigilâncias ativas, sendo 975 provenientes da Linha de Saúde Açores (808 24 60 24) e 1 191 provenientes do trabalho de campo das Delegações de Saúde.

A esta data, seis pessoas estão internadas no Hospital do Santo Espírito da Ilha Terceira, 2 no Hospital da Horta e 2 no Hospital do Divino Espírito Santo, na ilha de São Miguel. Em internamento em contexto domiciliário estão 32 pessoas: 11 na ilha de São Miguel, 7 na ilha Terceira, 7 na ilha do Pico, 5 na ilha de São Jorge e 2 na ilha do Faial.

Continuar a Ler

+ Populares