Connect with us

Regional

Vasco Cordeiro inaugura novo Matadouro do Faial integrado na estratégia de reforço da agricultura

GACS

Publicado

|

O Presidente do Governo inaugurou hoje o novo matadouro da ilha do Faial, um investimento superior a cinco milhões de euros que se integra na estratégia de fortalecimento da agricultura açoriana e de reforço da competitividade do setor da carne.

“Este novo matadouro do Faial é, assim, um exemplo concreto de mais um instrumento ao serviço da economia do Faial e da Região, no âmbito daquele que considero ser um trabalho estrutural que está em curso nos Açores ao nível da fileira da carne”, afirmou Vasco Cordeiro.

No primeiro ponto da visita de trabalho de todo o Executivo à ilha, o Presidente do Governo salientou que esta estratégia tem produzido resultados concretos e objetivos ao longo do tempo, permitindo que a fileira da carne se assuma hoje, por mérito próprio, como uma importante atividade económica nos Açores.

“Basta referir, por exemplo, que, em 10 anos, o consumo local de bovinos na Região cresceu 19% e a exportação de carcaças uns expressivos 352%. Se nos fixarmos nos primeiros nove meses deste ano, comparativamente com igual período em 2017, o crescimento nos abates de bovinos para consumo local foi de 1,9% e de 19,5% para a exportação”, salientou.

Estes bons indicadores não significam que, nesta área, está tudo feito, sublinhou Vasco Cordeiro, para quem é preciso ter sempre a consciência que este é um caminho que nunca estará completo “porque temos, nesta área, importantes desafios a que temos de dar resposta, como é o caso do melhoramento ao nível do acabamento dos animais, da transformação com maior valor acrescentado e procura incessante por novos mercados que valorizem mais as nossas produções, gerando mais rendimento desta atividade”.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo adiantou, por outro lado, que, em breve, serão inauguradas as obras de ampliação do matadouro da ilha Terceira, orçadas em 1,6 milhões de euros, estando também em curso a construção do novo matadouro da ilha Graciosa e a requalificação do matadouro de São Miguel, além de outros investimentos que estão planeados para outras ilhas, como é o caso de São Jorge.

“O investimento em novos matadouros ou na requalificação dos já existentes totaliza cerca de 15 milhões de euros e permitirá valorizar esta fileira, criar condições para incrementar a comercialização e, no fundo, garantir a sustentabilidade e reforçar a competitividade da produção de carne nos Açores”, disse.

O Presidente do Governo anunciou também que está em curso o trabalho no sentido de concluir, na presente legislatura, a certificação dos matadouros e salas de desmancha com a norma ISSO 22000, um processo permitirá conferir maior vantagem competitiva à carne dos Açores no mercado externo à Região.

“A aposta na melhoria da qualidade da carne produzida na Região tem tido efeitos práticos muito satisfatórios e importantes, desde logo ao nível de uma maior valorização do produto, com vantagens para a economia açoriana e para os produtores”, salientou.

De acordo com dados dos operadores no mercado regional, a carne de vaca já obteve este ano uma valorização de 10 a 15 cêntimos por quilo, os vitelões de 15 a 20 cêntimos por quilo e os novilhos valorizaram cerca de 20 cêntimos por quilo.

O novo edifício integra, para além do matadouro, uma zona destinada ao serviço de Classificação de Leite e outra à Delegação do IAMA na ilha do Faial.

A nova unidade de abate contempla todos os requisitos para que se cumpram integralmente as exigências tecnologias, higio sanitárias e ambientais legalmente impostas, salvaguardando-se assim a qualidade das carnes e a saúde dos consumidores e público em geral.

Dispõe também de uma estação de tratamento de águas residuais industriais, de uma unidade de preparação e acondicionamento de subprodutos e despojos gerados no âmbito do processo de abate e de uma unidade preparação e desmancha.

É constituído por uma nave de abate com capacidade instalada de 15 a 20 bovinos/hora e de 40 suínos/hora, uma abegoaria com capacidade para 37 bovinos em parques individuais e 56 suínos ou 14 bovinos ou ainda 66 ovinos/caprinos em parques coletivos, bloco de frio com capacidade de refrigeração de 145 carcaças em que se salienta a existência de três câmaras de duplo regime (arrefecimento e conservação de carcaças) e uma sala de desmancha com capacidade para 10 carcaças de bovino/dia ou 20 carcaças de suínos/dia.

Regional

Andreia Cardoso apela à identificação das barreiras arquitetónicas em habitações de idosos ou pessoas dependentes

Publicado

|

A Secretária Regional da Solidariedade Social apelou hoje, em Ponta Delgada, a todos os que, tendo um contacto direto com a população mais idosa ou dependente, possam detetar e sinalizar a existência de casos de habitações que carecem de correção, por constituírem risco de queda.

Andreia Cardoso, que falava na cerimónia de atribuição de apoios para a recuperação de habitação degradada a famílias da ilha de São Miguel, salientou que adequar as habitações das pessoas mais idosas e com mobilidade reduzida é uma das prioridades do Governo dos Açores.

“Pretendemos promover intervenções preventivas em 180 habitações em todo o arquipélago até ao final de 2019, por forma a tornar a casa um ambiente mais seguro e, assim, prevenir as quedas”, afirmou a Secretária Regional, acrescentando que “as quedas são, de facto, fatores de isolamento, fatores de dependência e, naturalmente, fatores de exclusão”.

Este trabalho de sinalização, acrescentou Andreia Cardoso, passa pela identificação dos casos, pela comunidade, à Junta de Freguesia ou diretamente ao serviço local da Direção Regional da Habitação, para que, “com pequenas intervenções, como a transformação de uma escada em rampa, a colocação de um corrimão, a troca de uma banheira por um poliban, seja possível eliminar os pontos de risco de queda”.

Acabar com as barreiras arquitetónicas é uma das medidas incluída no I Plano de Ação Bianual 2018-2019 da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e à Exclusão Social, que visa adequar as habitações das pessoas mais idosas e com mobilidade reduzida.

Andreia Cardoso atribuiu hoje apoios a 30 famílias da ilha de São Miguel para a recuperação de habitação degradada e para o combate às térmitas.

“Estamos a dar mais um passo na reabilitação do parque habitacional dos Açores, num investimento público que ascende a cerca de 486 mil euros e que abrange um total de 82 pessoas, que aguardam a ajuda e o impulso para verem as suas habitações melhoradas e requalificadas”, disse a Secretária Regional.

Nesta legislatura, e até março deste ano, o Governo dos Açores já apoiou quase 3.600 famílias, num investimento total superior a 29 milhões de euros no setor da habitação.

Fonte:GACS

Continuar a Ler

Regional

Governo dos Açores acompanha a evolução da atividade sísmica em São Miguel

Publicado

|

O Secretário Regional da Saúde deslocou-se, ao início da manhã de hoje, ao Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), em Ponta Delgada, para se inteirar da evolução da atividade sísmica que tem sido registada na zona central da ilha de São Miguel.

Rui Luís assegurou que o Governo dos Açores está a acompanhar desde a primeira hora esta situação, através de ‘briefings’ periódicos entre o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores e o CIVISA.

No âmbito deste acompanhamento, as câmaras municipais, os serviços municipais de Proteção Civil e as corporações de bombeiros estão também notificados para o acompanhamento desta atividade sísmica, adiantou o Secretário Regional, que apelou à população para que se mantenha informada e siga os conselhos de segurança do SRPCBA recomendados para estes casos.

FONTE: GACS

Continuar a Ler

Regional

Governo dos Açores apresenta novo programa de promoção de emprego jovem

Publicado

|

O Governo dos Açores apresentou um novo programa de promoção do emprego jovem, denominado Inovar, destinado a jovens até aos 30 anos.

O Vice-Presidente do Governo salientou que este programa vem “colmatar uma lacuna”, que era a não existência de programas de estágio para quem não tem formação profissional ou licenciatura.

Nos programas em vigor, quem acaba a formação no ensino profissional tem acesso ao programa Estagiar T e quem termina uma licenciatura está abrangido pelo Estagiar L, mas não existia uma solução semelhante para quem não se enquadra nestas duas situações.

Com o Inovar, segundo Sérgio Ávila, passa a existir “uma possibilidade de estágio, com garantia de contratação de metade dos estagiários, para quem não fez ensino profissional ou uma licenciatura”.

O governante adiantou que as inscrições decorrem de 15 de abril a 10 de maio, “para que o trabalho se inicie a 1 de junho, num estágio de 11 meses, em empresas privadas e públicas, entidades sem fins lucrativos e na administração pública, em setores estratégicos”.

Podem candidatar-se jovens que estejam desempregados e sem receber subsídio de desemprego e com habilitações académicas até ao 12º ano, com a garantia de que, findo o estágio, as entidades são obrigadas a contratar, pelo menos, metade dos seus estagiários.

Fonte: GACS

Continuar a Ler

+ Populares