Connect with us

Regional

Marta Guerreiro sublinha solidez económica da Azorina

GACS

Publicado

|

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo sublinhou hoje a “estrutura financeira muito sólida” da Azorina – Sociedade de Gestão Ambiental e Conservação da Natureza, bem como a perspetiva de terminar este ano com resultados positivos, não só alcançando os resultados previstos, mas com forte possibilidade de “ainda serem superados”.



Marta Guerreiro, que falava, em Ponta Delgada, após a audição na Comissão Comissão Eventual de Inquérito ao Setor Público Empresarial e Associações sem Fins Lucrativos Públicas, salientou que estes resultados positivos se devem não só “à maximização das receitas”, mas também a “uma gestão rigorosa ao nível da contenção de custos”.

A titular da pasta do Ambiente afirmou que a Azorina apresenta uma “excelente autonomia financeira, que supera os 50%”, situação que pode ser considerada “invejável”, quer por entidades públicas, quer privadas, no âmbito de uma “organização muito bem estruturada”.

“É com bastante orgulho que se fala daquela que é a atividade da Azorina ao longo dos oito anos de desenvolvimento da mesma”, frisou a governante, acrescentando as iniciativas que marcam a atividade desta entidade, nomeadamente de promoção da biodiversidade, geodiversidade e recursos ambientais, de apoio à gestão integrada das áreas protegidas, de exploração dos centros ambientais e de desenvolvimento de valências para a participação, informação, sensibilização, educação e formação dos cidadãos em matéria de ambiente.

Para a Secretária Regional, a Azorina tem “uma componente comercial que não é passível de ser incorporada na administração pública”, referindo, a titulo de exemplo, que nos primeiros oito meses deste ano as receitas superaram 1,3 milhões de euros.

Durante a audição, Marta Guerreiro destacou o papel da empresa no “desenvolvimento sustentável da Região”, através de atividades de animação ambiental e turística, muito por via da Rede de Centros Ambientais que, até ao final de 2017, registou “cerca de 130 mil visitantes”, valor “já ultrapassado nos primeiros meses de 2018, verificando-se, até agosto, cerca de 271 mil visitantes”.

A Secretária Regional reforçou também a realização de “diversas atividades de educação e sensibilização ambiental”, com destaque para os programas Parque Escola, onde “foram dinamizadas cerca de 1.000 atividades com mais de 22.600 participantes” no ano letivo 2016/2017, e Parque Aberto, que contou, em 2017, “com cerca de 400 atividades e uma participação de 15.400 pessoas”.

Marta Guerreiro salientou ainda que se trata “de uma organização com trabalho reconhecido pela sua ação ao longo dos últimos anos, com um papel determinado na qualidade da oferta ambiental” de que os Açores dispõem, numa parceria que resulta da cooperação “da melhor forma” entre a Azorina e a Direção Regional do Ambiente, com “resultados à vista”, já que “a Região tem sido, ano após ano, reconhecida em termos da sua sustentabilidade e preservação ambiental”.

Nesta audição, a Secretária Regional foi também ouvida relativamente à extinção da Associação Portas do Mar, referindo que, 10 anos depois da sua criação, “compete-nos, enquanto administração regional, validar se os pressupostos que estiveram na criação desta associação se mantêm”.

Segundo a governante, verifica-se a existência de outros agentes, nomeadamente privados, “que desempenham tarefas de animação e promoção com iniciativas bastante semelhantes e que vão, aos poucos, substituindo a atividade da Associação Portas do Mar”.

“Neste contexto, de maior desenvolvimento económico, de um crescimento do turismo bastante acentuado e de entidades privadas que se manifestam nesta área, não fará sentido mantermos esta associação, financiada com dinheiros públicos, para exercer estas competências”, defendeu Marta Guerreiro, acrescentando que a existência da associação ”cumpriu os seus objetivos” no que diz respeito aos “investimentos em promoção e desenvolvimento de produtos e de atividade dinâmicas criadas naquela zona” de Ponta Delgada.

Regional

Detenção de abusador sexual em Santa Maria – PJ

Publicado

|

A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada, identificou e deteve um indivíduo do sexo masculino, pela presumível prática do crime de abuso sexual de criança, na sua forma agravada, de que foi vítima uma menina de 4 anos de idade.

Os abusos ocorreram no passado mês de setembro, na ilha de Santa Maria, num contexto de proximidade familiar.

O suspeito aproveitou o facto de ter ficado com a guarda da criança, por escassos dias, para a molestar sexualmente.

O detido, com 49 anos de idade, funcionário autárquico, foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida coativa de prisão preventiva.

Continuar a Ler

Cultura / Eventos

Conversa literária na Caloura assinala 270 anos da chegada dos Açorianos a Santa Catarina

GACS

Publicado

|

Por

O Governo dos Açores promove sábado, 20 de outubro, pelas 18H00, no Centro Cultural da Caloura, em São Miguel, a realização da iniciativa ‘Conversa à volta das letras’, subordinada ao tema ‘Açores e Santa Catarina: aproximações literárias’.

Esta ‘conversa’ sobre a literatura de expressão açoriana e a influência dos Açores na produção literária santa catarinense conta com a presença do Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas, Rui Bettencourt, e tem como oradores os escritores e professores universitários Lélia Nunes, de Santa Catarina, no Brasil, e do açoriano Vamberto Freitas, estando a moderação a cargo de Aníbal Pires.

O programa do evento inclui ainda um momento musical com Ricardo Melo, músico açoriano e professor de Educação Musical, que tem contribuído para o estudo, difusão e gosto pela Viola da Terra.

Esta iniciativa, de entrada livre e aberta a todos os interessados, integra as comemorações do 270.º aniversário da presença açoriana em Santa Catarina e insere-se nas atividades no âmbito do Ano Europeu do Património Cultural 2018.

O ano de 2018 foi declarado ‘Ano dos Açores’ em Florianópolis, reconhecendo o contributo da presença açoriana e do seu legado cultural para o desenvolvimento desta cidade e do Estado de Santa Catarina, onde a 22 de fevereiro de 1748 desembarcaram os primeiros Açorianos que emigraram para este Estado do sul do Brasil.

Após 270 anos, as marcas da presença açoriana no património material e imaterial são bem visíveis, nomeadamente na literatura, bem como a dinâmica de várias organizações que desenvolvem diversas iniciativas em prol da Açorianidade em Santa Catarina.

Continuar a Ler

Regional

Vasco Cordeiro reeleito Presidente de organização que representa 150 regiões europeias

GACS

Publicado

|

Por

Foto: GACS

O Presidente do Governo dos Açores foi reeleito, por unanimidade e aclamação, para um terceiro mandato como Presidente da Conferência das Regiões Periféricas e Marítimas da Europa (CRPM), organização que representa cerca de 150 regiões europeias, congregando um total de 200 milhões de habitantes.

A reeleição de Vasco Cordeiro para um novo mandato de dois anos decorreu esta quinta-feira, no Funchal, no órgão de direção política da CRPM, que reúne um representante por Estado, no âmbito da 46.ª Assembleia Geral desta organização.

O Presidente do Governo dos Açores assumiu pela primeira vez a presidência da CRPM em 2014, na cidade sueca de Umeå, tendo sido reeleito, por unanimidade, em 2016, na Assembleia-Geral que decorreu em Ponta Delgada.

Com esta reeleição foram também indicados os novos Vice-Presidentes da CRPM que acompanharão Vasco Cordeiro na execução do seu terceiro mandato, oriundos de regiões da Noruega, Grécia, Suécia, Holanda, Itália e Roménia, assim como foi definida a nova composição do órgão de direção política da organização.

Na proposta eleitoral que apresentou às cerca de 150 regiões que compõem a CRPM, Vasco Cordeiro comprometeu-se com a “defesa intransigente dos interesses das regiões periféricas e marítimas da Europa e dos princípios inspiradores da ação conjunta, como contributo para uma ação europeia que respeite a subsidiariedade e a proporcionalidade, bem como a governação multinível e o poder regional”.

A CRPM tem por missão a defesa dos interesses dos seus membros junto de instituições nacionais e europeias, através da promoção da coesão económica, social e territorial e do poder regional na Europa, bem como do reforço da dimensão periférica e marítima da Europa.

Nesse sentido, a CRPM tem desenvolvido um amplo trabalho de desenvolvimento de políticas e influência junto das instituições comunitárias, com particular incidência para as Políticas de Coesão, Política Marítima Integrada, Política de Transportes e Estratégias Macro-Regionais.

Continuar a Ler

+ Populares