Connect with us

Nacional

Revista de Imprensa Nacional, 19 Julho 2018

Agência Lusa

Publicado

|

Visão:

– “Esquemas suspeitos na reconstrução de Pedrógão”

– “Futebol: O segredo do ‘fenómeno’ Mbappé”

Sábado:

– “O assalto à PT: Saiba como eles destruíram a maior empresa portuguesa”

– “Parlamento foi de férias sem nada mudar: Todas as regalias – e os abusos – dos deputados nas contas e nos salários”

Correio da Manhã:

– “Estado avalia pureza da droga em festival”

– “Resgatados na Tailândia: Crianças contam milagre da gruta”

– “Crime no Porto: Zanga entre amigos acaba em morte”

– “Nova lei em vigor: Poupança na casa com juros negativos”

– “Sporting chumba Bruno e Vieira”

– “Benfica ataca Gabriel e Renato Sanches”

– “FC Porto: Conceição desespera por defesas-centrais”

– “Estádio de Braga: Arquiteto encaixa mais de sete milhões”

– “Hells Angels: Motards impedidos de ir a concentrações”

– “Eça de Queiroz: Escolas livres para escolher qualquer obra”

– “PSD dá a mão ao Governo e deixa aprovar nova lei laboral contra a esquerda”

– “Sócios de investidor inglês: Donos de restaurantes ganham Comporta”

Jornal i:

– “Contas no vermelho: Turismo não chega para as despesas”

– “Portugueses procuram cada vez mais hotéis para animais de estimação”

– “Movimento pela esterilização [dos animais] ‘chocado’ com deputados”

– “Os Maias já não são obrigatórios… há 16 anos”

– “PS sozinho no código laboral: PSD absteve-se, PCP e Bloco votaram contra”

– “Google: Multa milionária de Bruxelas é apenas o início do castigo”

– “Espanha gastou milhões em submarino que não cabe na doca”

– “Estamos mais perto de saber para que servem as riscas das zebras”

– “Liverpool: Alisson é o guarda-redes mais caro de sempre”

Negócios:

– “Há marcas que escapam ao aumento do imposto automóvel”

– “Bancos têm 10 dias para rever juros do crédito”

– “Obrigações: Ninguém aplicou mais de 20 mil euros nas OTRV”

– “Raize sobe 19% na estreia em bolsa”

– “Via CTT: Fisco não suspendeu todas as cobranças”

Jornal de Notícias:

– “Ambulâncias paradas por falta de técnicos do INEM”

– “Cinco mil motards na mira das polícias europeias”

– “Paixão não correspondida na origem de homicídio à facada na baixa portuense”

– “Vila Verde: Detido para cumprir pena de violência doméstica”

– “Parcómetros: Erro impede cobrança de multas na invicta”

– “Tailândia: Rapazes recuperados e de regresso a casa”

– “F.C Porto: Conceição crítico e à espera de novos reforços na defesa”

– “Sporting: Bruno impedido de ser candidato”

– “Parapentes invadem céus de Montalegre”

– “Entrevista [Nuno Botelho, presidente da ACP]: ‘Quem está em Lisboa tem muita dificuldade em ouvir’”

– “Infarmed: Instalação no Porto não ameaça saúde pública”

Público:

– “Abate de animais pelas câmaras vai mesmo acabar em outubro”

– “Entrevista a Maria José Morgado: ‘No país, perdeu o sentido ser-se de direita ou de esquerda. Tem mais sentido ser-se honesto’”

– “Agressão racial no Porto vale processo contra dois polícias”

– “AR: O dia em que a ‘geringonça’ deu lugar ao bloco central”

– “Saúde quer reduzir ainda mais o açúcar nos pacotes”

– “Passe social único na região de Lisboa custa 65 milhões [de euros]”

– “Festivais: A música de volta a Sines e ao Super Bock Super Rock”

– “Médio Oriente: Orbán visita Netanyahu: Radicais europeus e Israel”

– “Jogos Sociais: SIC condenada a pagar 7.500 euros por se ter enganado na chave do euromilhões”

O Jogo:

– “Craques em cima da mesa: Sérgio Conceição pede a Pinto da Costa reforços que façam a diferença”

– “FC Porto: Kelechi começa pelos bês”

– “Sporting: Dost volta e assina até 2021”

– “Benfica: Braço de ferro por Gabriel”

– “Braga-Bétis (1-1): Paulinho e polémica”

– “Aves-V. Guimarães (2-2): Avenses testam contra-ataque”

A Bola:

– “Campeão azedou: Falta de reforços no FC Porto deixa Sérgio Conceição cada vez mais zangado”

– “SC Braga: Empate com o Bétis e três expulsões”

– “Sporting: proposta a Tissone”

– “Sporting: ‘Vou sair de cabeça erguida’, Sousa Cintra não apoia qualquer candidato”

– “Por dentro de uma palestra de Jorge Jesus”

– “Bielorrúsia: O estranho novo passo na carreira de Maradona”

Record:

– “’Tomara que dê certo’, Gabriel médio do Leganés confirma negociações com o Benfica”

– “Bas Dost volta: Empresário hoje em Lisboa para concluir acordo”

– “FC Porto: Dois reforços para Sérgio Conceição”

– “Francisco J. Marques arguido por divulgar mails: ‘É verdade, mas não estou preocupado’”

– “Betis-SP Braga (1-1): Minhotos acabam com oito”

– “Hóquei em patins. Portugal-Áustria (15-1): Nova goleada dá liderança do grupo”

– “Sousa Cintra: ‘Estamos a formar uma equipa poderosíssima’”

– “Bruno de Carvalho impedido de entregar lista: ‘Têm um medo enorme que eu vá a eleições’”

– “Elsa Judas: ‘Sinto-me traída e enganada por BdC”

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nacional

Hotelaria aumenta 9% em junho o preço médio por quarto

Publicado

|

A hotelaria portuguesa registou em junho um aumento de 9% do preço médio por quarto ocupado, para 101 euros, mas um recuo de 0,7 pontos percentuais da taxa de ocupação quarto, para 81%, divulgou hoje a associação setorial.

Segundo o indicador mensal ‘Tourism Monitors’ da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), em junho, Lisboa foi o destino que registou uma melhor performance no preço médio por quarto ocupado (ARR), que se fixou nos 124 euros, seguido do Algarve e Estoril/Sintra (108 euros).

No mês em análise, o preço médio por quarto disponível (RevPAR) aumentou 9%, para os 82 euros, destacando-se, em termos relativos, o crescimento de 24% da Costa Azul, seguida do Alentejo e das Beiras, com 18%.

Por destinos turísticos, Lisboa (91%), Madeira (89%) e Grande Porto (85%) registaram as taxas de ocupação quarto mais elevadas, tendo as categorias quatro e três estrelas voltado a registar, pelo segundo mês consecutivo, uma quebra de 1,1 e de 2,6 pontos percentuais.

No entanto, a categoria três estrelas foi a que registou um maior crescimento no ARR e RevPAR, de 17% e 13%, respetivamente.

“Tivemos um junho atípico, bastante chuvoso e frio, o que pode justificar a quebra da taxa de ocupação na maioria dos destinos. Dos 14 destinos analisados pelo ‘Hotel Monitor’, apenas as Beiras, Costa Azul, Alentejo e Lisboa apresentaram variações positivas no mês de junho”, refere a presidente executiva da AHP, citada num comunicado.

Apesar deste decréscimo, Cristina Siza Vieira destaca que o setor fechou o mês “muito bons indicadores”, tendo-se mantido “a rota ascendente no ARR e no RevPAR.

Continuar a Ler

Nacional

Trabalhadores de hipers e supermercados em greve a 12 de setembro

Agência Lusa

Publicado

|

FOTO: PIXABAY

Os trabalhadores dos hipermercados, supermercados e outros estabelecimentos da grande distribuição vão fazer greve em 12 de setembro, segundo informação da CGTP, com base nas informações do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP).

Na informação publicada hoje, os trabalhadores vão paralisar durante todo o dia de 12 de setembro para reivindicar a “revisão do contrato coletivo de trabalho sem redução do valor pago pelo trabalho suplementar”.

Na lista de reivindicações está ainda o “aumento dos salários de todos os trabalhadores e o fim da tabela B e a equiparação da carreira profissional dos operadores de armazém à carreira dos operadores de loja/supermercado”.

Continuar a Ler

Nacional

Menos turistas estrangeiros reduzem dormidas nos hotéis em 2,9% em junho

Agência Lusa

Publicado

|

As dormidas na hotelaria diminuíram 2,9% em junho em termos homólogos, devido sobretudo aos turistas estrangeiros que pernoitaram menos 5,1% nos hotéis portugueses nesse mês, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em junho, os estabelecimentos hoteleiros e similares registaram 2,1 milhões de hóspedes (um valor semelhante ao do mesmo mês de 2017) e 5,8 milhões de dormidas, o que representa uma diminuição de 2,9% em termos homólogos.

Segundo o INE, esta quebra foi condicionada pela diminuição de 5,1% dos não residentes (4,2 milhões de dormidas) que pernoitaram na hotelaria portuguesa, enquanto as dormidas dos turistas nacionais aumentaram 3,4% (1,6 milhões).

Em termos semestrais, os hóspedes aumentaram 2,6% e as dormidas 0,5% (com os residentes a crescerem 3,9% e os não residentes a caírem 0,7%).

A estada média, que foi de 2,8 noites, reduziu-se 2,9%, sendo que a quebra também foi superior no caso dos turistas não residentes (3,1%) do que nos residentes (0,2%).

Também a taxa líquida de ocupação-cama (que foi de 59,8%) recuou 2,2 pontos percentuais face ao mesmo mês de 2017.

As dormidas em hotéis (68,8% do total) diminuíram 0,9%, e as restantes tipologias também apresentam quedas homólogas, com destaque para os aldeamentos turísticos (7,6%) e para os apartamentos turísticos (4,8%).

Segundo o INE, o mercado britânico (24,4% do total das dormidas de não residentes) recuou 9,8%, o mercado alemão (12,9% do total) reduziu-se de 10,5% e o francês (9,9% do total) desceu 2,6% em junho.

“O mercado espanhol (7,5% do total) aumentou 1,5% e foi, entre os cinco principais mercados emissores, o único que apresentou crescimento em junho”, sublinha o INE.

As dormidas apresentaram evoluções díspares entre regiões, sendo que, em junho, o Norte e o Alentejo “foram as únicas regiões que registaram acréscimos nas dormidas (3,1% e 2,4%, respetivamente)”.

Os maiores decréscimos nas dormidas verificaram-se no Centro (7,9%) e nos Açores

Continuar a Ler

+ Populares