Connect with us

Entrevistas

Entrevista à escritora Adelaide Ramos Vilela

Publicado

|

Adelaide Ramos Vilela, escreve poesia desde os 14 anos.

Natural de S. Jorge da Beira, concelho da Covilhã, passou uma parte da sua juventude em Angola, regressando a Portugal em 1975.

Vive em Montreal desde 1978.

Licenciada em Comunicação e Jornalismo em Comunicação, pela Universidade de Montreal.

Tem repartido a sua atividade por sectores tão diversos como: relações humanas e artísticas, conferências, publicidade, jornalismo e fotografia.

Colaborou com os jornais: A Voz de Portugal, O Emigrante o Lusopresse, (Montreal) O Milénio, O Voice, (Toronto) A Voz de Trás-os-Montes, (Portugal) e outros jornais, onde tem publicado inúmeras crónicas de índole cultural e artísticas.

Colaborou, durante alguns anos, com a RDPI, no programa “Novo Mundo”, com a rubrica Casa Portuguesa, onde dava a conhecer luso-canadianos residentes em Montreal e de várias cidades vizinhas. No campo musical tem contribuído para o êxito de vários artistas, com letras de sua autoria.

No ano de 1994, com mais 4 colegas, realizou uma curta-metragem, intitulada: Mensonges. A história é de autoria de Adelaide Vilela.

Adelaide Vilela participou, também, como figurante, no filme “TheLastHope” do colombiano, Harold Martinez Jordan. Uma parte deste filme foi rodado em casa de Adelaide Vilela.

Foi ainda convidada a participar, em vários programas de Televisão. Em vários Países do Mundo. No Canadá, a nível nacional e internacional, organizou e animou alguns programas de televisão.

Muitas das suas atividades e participações, destacam-se em muitos países da América Latina. Nesse Continente foi reconhecida como “Poeta de la luz”.

Na poesia, editou 10 livros e inúmeras antologias.  As suas obras poéticas são: Os Meus Versos Meninos, Versos do Meu Jardim; Versos e Universos; Portugal à Janela; Cantares de Adelaide, (Bilingue) PalabrasdelCorazón, Horiozntes de Saudade; Laços e Abraços, Olhos nas Letras e Magma de Afetos, histórias.

Adelaide Vilela, foi agraciada pela “Casa do Poeta Peruano”. Na cidade de Tumbes, recebeu uma medalha de ouro, no Festival Internacional de Poesia, em homenagem ao poeta Rigoberto MezaChunga. Tendo sido agraciada mais tarde com uma 2ª. a medalha de ouro.

Para além de muitos troféus e certificados que tem vindo a ganhar, Adelaide Vilela,em 2008, participou na Universidade del Callao, Lima, Peru, no Festival Internacional de Poesia, Leoncio Bueno. E aí foi acolhida como (VISITANTE DISTINGUIDO, COMO TESTIMÓNIO DE SU VISITA A LA HISTÓRICA CUIDADE DE CALLAO).

Adelaide Vilela foi, nomeada, há vinte anos, como “Presidente da Casa do Poeta Peruano”, pelo Canadá. É também a “Presidente das Associações literárias, pela Paz do mundo”, HISPANO MUNDIAL DE ESCRITORES e pela SOCIEDADE VENEZUELANA DE ARTE INTERNACIONAL.

Os livros de Adelaide Vilela chegam sempre a Portugal. A título de exemplo,a última obra -Laços e Abraços – foi lançada em diversos polos de cultura e de formação, em Portugal Continental e nas Ilhas dos Açores. O referido livro foi presentado no Monte Pio, Geração M. no Porto, no Externato Nossa Senhora do Carmo, na Casa da Música da Covilhã, nas escolas de S. Jorge da Beira, na Biblioteca Municipal de Ponta Delgada, no Convento de Santo António em Caminha, na RDP e RTP Açores, no programa “Aqui Portugal”, RTP, RTPi, e noutros lugares, em Portugal.

Adelaide Vilela concluiu mais duas produções: poesia e histórias.Em breve OLHOS NAS LETRAS E MAGMA DE AFETOS seguem mar além até tocarem nas mãos e no coração do leitor: “A língua é a sua Pátria”. Viaje com ela, na onda da sua poesia. Depois, com três letras apenas, escreva a palavra: PAZ!

Entrevistas

28 ANOS DOS PASSOS PESADOS – ENTREVISTA TONI PIMENTEL

Publicado

|

PASSOS PESADOS ENTREVISTA TONI PIMENTEL

 

Os Passos Pesados são um dos símbolos da década de 90, muito fértil na música ‘made in’ Açores, e estão a ssinal os seus 28 anos de existência.

A 105 FM esteve à conversa com Toni Pimentel ,guitarrista, vocalista e compositor, é o líder dos “Passos Pesados”.

Não percas esta festa! Sábado dia 30 Março, na esplanada do Bar “TÃ GENTE” – Travessa do Aljube

Continuar a Ler

Entrevistas

ENTREVISTA HÉLIO JORGE VIEIRA

Publicado

|

ENTREVISTA Hélio Jorge Vieira

 

Hélio Jorge Vieira nasceu nos Açores, na ilha Terceira onde nasceu, vive e desenvolve há muitos anos a actividade de jornalista. Licenciado em História despertou para o gosto da cozinha e tem participado em diversos concursos neste âmbito. O que mais o desperta na culinária é a tradição dos pratos açorianos tradicionais e o que pode fazer-se em termos de inovação sem que se coloque em causa o genuíno do que é único. Por estes dias lançou um site https://cozinhaacoriana.pt e uma página no facebook:  https://www.facebook.com/cozinhaacoriana primeiro passo de um projecto que irá trazer um livro e, depois, um canal no Youtube.

O Investinterceira decidiu ouvir o autor que meteu mãos-à-obra num campo em que há muito para fazer.

Concurso Mesa dos Portugueses 2017
Local: Teka, Parque das Nações, Lisboa

Continuar a Ler

Cultura / Eventos

Patrícia Villas expõe “Rascunhos” no Museu Municipal da Ribeira Grande – ENTREVISTA

Publicado

|

LUÍS COSTA PATRICIA VILLAS

 

Inaugura este sábado, às 19.00 horas, no Museu Municipal da Ribeira Grande, a exposição de desenho de Patrícia Villas, intitulada “Rascunhos”, mostra onde estarão em exposição nove telas com desenhos da artista.

Desde tenra idade que Patrícia Villas tem desenvolvido uma grande paixão pelas artes, variando entre a música, a dança, a pintura e o desenho. Em 2014/2015, por sugestão da sua amiga Teresa Viveiros, surgiu a ideia de ter aulas de pintura com o professor Victor Almeida, resultando daí as suas primeiras participações em exposições coletivas.

Em 2016, iniciou aulas de desenho com a professora e designer Vanessa Branco com o intuito de desenvolver e melhorar as suas técnicas neste género de arte.

Ainda em 2016/2017, teve a oportunidade de expor os seus trabalhos de pintura na Casa de Chá Pés Verdes, na sala de exposições do hospital Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, e no Museu Municipal da Ribeira Grande.

Continuar a Ler

+ Populares